Poeticas de vida

“Poéticas de vida: escritas de si(da)” é uma publicação da coleção Cadernos, da Editora Monstra, que visa fomentar a produção literária que tem na vivência individual (logo social, política, cultural) sua principal matéria. O livro é resultado de oficina promovida pela editora Monstra, Casa 1 e Acervo Bajubá em parceria com o GIV – Grupo de Incentivo à Vida (iniciativa que desde 1990 luta pelos direitos das pessoas vivendo com HIV/AIDS) e teve mediação do escritor e pesquisador Leandro Noronha e da artista gráfica e publicadora Laura Daviña (PSSP estúdio de publicação). ✸ Caso não consiga abrir a publicação online, acesse o pdf aqui.

Escrevivências

“Escrevivências - CUSturas poéticas” nasceu da oficina de escrita criativa para pessoas trans da Casa1 com o ator e dramaturgo Daniel Veiga durante a IV Semana de Visibilidade Trans e tomou forma em encontros com Laura Daviña / estúdio PSSP, onde concebemos um projeto editorial e gráfico e diagramamos juntes as paginas de cada participante. A antologia reúne textos de: Afro Queer, Bruna Pires, Cae Beck, C. Hanada, Gae Ferraroni, Lira Queiroz, Márcie Vieira, Renata Bastos e Zara Dobura. ✸ Caso não consiga abrir a publicação online, acesse o pdf aqui.

Se minha biblioteca publicasse

Publicação coletiva resultante da oficina "Se minha biblioteca publicasse". A partir da imersão em suas bibliotecas pessoais e nos arquivos virtuais do Publication Studio São Paulo e da Casa do Povo, os autores fizeram uma reflexão sobre a relação entre a leitura e o ato de publicar. A oficina aconteceu online em novembro de 2020 e foi parte do Arquivo em Movimento, uma realização da Casa do Povo em parceria com o projeto Archival Consciousness [Mariana Lanari e Remco van Bladel]

Formas de la idea

Que ideias colocamos no mundo, enquanto publicadoras, e como elas podem mudar os processos editoriais (re)produtivos? Quais são as implicações de colocar o cuidado no centro dessa jornada, levando em conta o cuidado em suas dimensões infraestruturais (organização, comunicação, processos e ambiente)? Com Andrea Ancira, de Tumbalacasa ediciones (Mexico), preparamos essa publicação online experimental como plataforma para discussão colaborativa de temas que estamos abordando durante o processo de #Formasdelaidea (encontro latino-americano de editoras independentes). Acompanhe a apresentação em: youtu.be/0tMX-zcZWHU

Co-sensing with radical tenderness
Co-sintiendo con ternura radical
Co-sentindo com ternura radical

Co-sentindo com Ternura Radical (Português), Co-sintiendo con Ternura Radical (Español), ou Co-sensing with Radical Tenderness (English), é um texto que Dani d'Emilia e Vanessa Andreotti começaram a escrever em 2018, com base no trabalho do coletivo Gestos Rumo a Futuros Decoloniais [GTDF]. Inicialmente chamado de “Um Convite à Ternura Radical”, esse texto vem se trans­formando junto à sua colaboração artístico-pedagógica “Des-identificações Engajadas”, na qual tentam traduzir modos de engajamentos pós-representacionais em experimentos encarnados que reconfiguram as conexões entre razão, afeto e relacionalidade. A versão atual do texto foi revisada em junho de 2020. Mais informações sobre GTDF aqui: www.decolonialfutures.net

As cinco dificuldades em escrever a verdade
Acción
Não violência
Como fazer

+info



em

construção

expansão

suspensão

deriva

ebulição

evaporação

andamento

destilação

processo

degeneração

inquietação

evasão

ativação

fragmentação

digestão

diferenciação

inversão

perturbação

reversão

transubstanciação

questionamento

desvio

erupção

ativação

libertação

marginalização

disrupção

alargamento